04 outubro 2008

peixes de aquário

Sou pisciana sem antescedentes criminais. Um ser perfeito já que igual a mim, só eu mesma. Chata e meio lenta. Acordo dormindo e durmo acordada. Quem me conhece sabe. Não sou um poço de alegria, mas também pouca coisa me tira de meu estado romântico-letárgico. Adoro ler e escrever também. Mania de ler. Leio até pára-choque de caminhão. Gosto da chuva, do mar e de olhar estrelas. Aprendo a cada dia o que não aprendi ontem. Sou apaixonada, mas não sou tonta. Sou um pouco esotérica sim. Aprendi a ver através das palavras. Sobrevivente dos temporais. E assim caminho entre os dias, sendo Alice, Mariana ou a lúcida habitante dos quadrinhos. Posso ser também um erro comum entre uma página e outra. Um erro de impressão ou acerto de contas já que sempre nos reinventamos. Somos músicas, inúmeras batalhas românticas, fugas temporárias ou infinitas. Sou e somos o som do sol chegando depois da chuva forte.



Gravura de Romero Britto

11 comentários:

Narradora disse...

Gosto das imagens que escolhe, das palavras que junta e da estrutura que cria com elas: às vezes leve, outras densa; às vezes é como se falasse de mim; noutras, não podia ser mais diversa...
Acho incrível o quanto cabe num parágrafo, lá entre o que o escritor disse e o que o leitor enxergou.
O legal é que mesmo novo o blog tem jeito de barzinho conhecido... sabe daqueles que a gente matava aula na faculdade pra botar ordem no mundo, e que mesmo agora, um certo tempo depois, ainda freqüenta vez em quando pra se lembrar de como era?
Bom e isso era pra ser um comentário do texto, tá mais pra tempestade cerebral...rs (deve ser a lua...rs)
Bjs

Letícia disse...

Luciana,

Tempestade Cerebral é o meu nome. E das imagens, adoro misturar cores. Algumas ilustrações são do Romero Britto. Acho tudo tão infância e alegria. Um dia encho minha casa com quadros dele. E sobre o blog, bom que vc se sente assim.

Bjs.
Logo estarei lá contando e recontando.

Zélia disse...

Os textos se encontram. Velha conversa de fim de tarde. O seu que não é novo e é. O meu que não é velho e é. Ele fala por si, embora não seja endereçado a você. Uma velha canção do Hengenheiros(não tenho vergonha de dizer que os ouvia cantar) lembra bem:

"Somos quem podemos ser
Sonhos que podemos ter"

;)

Juliana Holanda disse...

Que surpresa boa cair de pára-quedas aqui...Adorei, adorei seu blog!! "O conto de fadas dos Infernos" continua no meu blog, claro que não tão sofisticado em maldade quanto o do H Rosencrantz...Veja lá a continuação dessa história de horror!!

Leandro Neres disse...

Eu ia comentar justo das imagens^^
E gosto mto da plasticidade dos teus textos, o som do sol chegando depois da chuva. Plasticidade, hum, não, psicodelismo mesmo =)
Bjos!!!
Leandro

Éverton Vidal disse...

Tenho a impressoa de que já li esse texto. Será que é so impressao? Bilhetes.. livraria cósmica...

Gosto!

E da imagem também.

Ana Cláudia Zumpano disse...

bela, és bela e forte... adorei a descrição... como é bom o solzinho chegando depois da chuva, iluminando todo o dia escuro...
bj ;*

Letícia disse...

Vidal,

Acho que já leu sim. Estava nos baús do Cosmic. Deu vontade e eu trouxe.

See you.

Ana,

Bom q voltou a escrever e valeu por vir aqui.

Bjs.

Leo Coltrane,

Adorei seu comment. Lovely.
Bjs.

João Neto disse...

E ainda bem que não tem antecedentes criminais, senão teria que prendê-la. E melhor ainda por domir acordada ou acordar dormindo, traduz os sonhos em palavras que nos brindam.

Bjos.

Camilla Tebet disse...

OLha o João Polícia se manifestando na parte que lhe toca heheheheheheheheheheheheheh. Achei boa essa.
Alice, Letícia, que bonito que é ler de vc.

Germano Xavier disse...

Eu tenho antecedentes criminais, Branca. Um dia te conto.

Piano...