18 agosto 2009

horário de brasília



Jovem ideológico, graduado com louvor, orgulho da família, destaque em porta-retrato de estante, sorriso de tom natural. Aos 26 anos e o futuro tão perto acenando seus dias de ouro e viagens ao exterior. Jovem orador da turma, elegância em dia de formatura, aquiescência de seus ancestrais. Mestre em pós-doutorado, vias de fato, um batalhador. Mas, o mundo que gira ao contrário, faz jovem honesto encontrar, à face da peste, pivete assustado que dispara certeiro fim no peito do rapaz promissor. E essa ironia sem serventia bagunça a vida, desidrata alegrias e amontoa de medo quem ainda acredita que o vento mudou. Logo, ao passar dos dias, em manchetes esquecidas, à justiça cega e tartamuda, o tempo ruiu. E, para família do jovem, morto sem glórias, sem pé nem cabeça, finda a história do Brasil.



Image by luisa m. kelle

15 comentários:

Pedro Avillar disse...

Você deixa qualquer um sem palavras. Parabéns pelo talento, menina.

Rodrigo M. Freire disse...

Uma menina,uma mulher, retrato de blog ao acaso de eu estar de olho,
transforma tudo em texto que olha por prismas inusitados. Consegue ser tanto em mim, sendo ainda uma desconhecida...

Pobre também, querida, dos que são assassinos.

Kenia Cris disse...

Letícia, mais uma preciosidade da sua alma! Esse jovem aí poderia ser tantos jovens brasileiros, não é mesmo?! Eu sei q vc vai lá no Poesia Torta e lê minhas bobagenzinhas, mesmo quando não diz nada sua presença sempre me conforta. Obrigada pela companhia e carinho sempre. Eu também venho. Adoro esse espaço aqui, mas ultimamente tem sido difícil pra mim comentar. Acho que tudo o que digo parece idiota. Sei lá.

Beijo carinhoso.

Beto Canales disse...

Muito bom!

Leo Mandoki, Jr. disse...

este jovem existe..pq se existe é preciso avisa-lo a ir a uma velocidade mais lenta. Ninguem chega a lado algum assim
beijocas nenem

Zèlia disse...

Passei por aqui mais cedo mas justamente o horàrio de Brasìlia me impediu de tecer meu comentàrio. O curioso è que ontem tive que acertar o horàrio de uma das minhas pàginas na internet pelo horàrio de brasìlia enquanto pensava que, assim o fazendo, eu estava me enquadrando em um padrao que me foi imposto. Sei que sem padroes, a vida seria um caos. Mas sei, tambèm, que na maioria das vezes esses padroes nos diminuem. È como se fossèmos colocados em uma caixa fechada e pronto. Acontece que o mundo, ao contràrio, è aberto e sujeito a variaçoes mil. Vive melhor quem se prepara melhor para ele.


PS: Teclado espanhol :D

Éverton Vidal Azevedo disse...

É com nesse risco constante de se perder na bala perdida ou num ataque do coraçao a vida mostra sua cara de piada maldita.

Éverton Vidal Azevedo disse...

Letícia,

Obrigado por estar por ali, no Re-novidade. Você é uma das pessoas citadas indiretamente, ou que citei sem citar lá no texto dos 3 anos.

O mundo é mal, e a vida é um risco, mas Deus, que é quem mostra os lados, ruins, bons, e diz que o bom é bom, me deu um presentao quando "te achei" por aqui.

Um beijo e um abraço fraterno. Eu devia ter te conhecido em Jampa, mas só pude ir um dia e foi bem corrido =(. Quem sabe noutro dia né?

Bj!

Germano Xavier disse...

Vidal disse o que eu ia dizer:

"nesse risco constante de se perder na bala perdida ou num ataque do coração a vida mostra sua cara de piada maldita"

Texto absurdo.

Germano Xavier disse...

E o que será que o homem-pássaro com cartola estará lendo? Seria o furo da renúncia de nosso amado e querido Sarney?

Glaucia disse...

Oi Letícia,

fico uns dias sem vir aqui e sinto uma falta tamanha!
Essa sua junção de texto e imagem me fascina. É como se a cada postagem tivesse duas, eu vejo a imagem e leio o texto. Depois volto à imagem e tudo fica diferente.

Amo vir aqui.
Beijos.

Biba disse...

Letícia, curto, belo, pungente.

Afeto sempre,
Carpe Diem!!

Monday disse...

Se importaria de ler isso em rede nacional, no horário nacional do jornal nacional, só pra mostrar que nós não estamos chorando à toa e sim que é em Brasília que se encontra o irracional?

Du disse...

São as desagradáveis surpresas da vida, aquilo que a gente acha que só acontece com os outros e nunca com a gente...

Um beijo, querida! Já tava com saudades daqui e de você!
Boa noite hoje e um ótimo dia amanhã!

Marcelo Novaes disse...

Um quê de cordel em crônica policial...








Beijos,









Marcelo.