26 setembro 2009

a sombra e a prece



Do panorama aos edifícios, escolho o que me causa risco. Gosto de assombrar-me. Gosto também de ressaltar solidão quando deliberam-me companhia. Ah, que bela é a vida sob a cegueira da qual o sol se desmantela. Hoje, exata hora em que escrevo, lembro-me; roguei pragas à costureira, ao sapateiro e ao plebeu de nome rude. Tantos anos agora e não há quem diga que surtira efeito minha vernácula mesquinha que fez de mim triste e equivocada sombra em acúmulo de tudo que por tempos disse. As pragas caíram sobre mim. Não ando; arrasto-me. Não falo; balbucio. Não amo; aleijados sentimentos cercam meu olhar. Não politizo; monarquia perdida na história. Não planto, não colho e, ao que me resta de contento, semeio maldade que é a única coisa que me alegro em fazer. Velhice enrugada, beleza engolida pelo tempo e, de agora em diante, aos velhos e sujos padres e oradores cristãos, servirei meu corpo de alimento para que roguem a mim o bendito perdão. E descanso em paz porque a vida é longa demais aos que dela fazem diversão.



Image by Slawek Gruca

9 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

A vida parece então melhor para quem se diverte...
Beijo, lindo final de semana

Mai disse...

Orar, pedir, pregar e pregoar. O que se diz o que se ouve, vende, compra, o que se move e o que se monta. Sombra e luz e no tempo, as coisas, o ser e as coisas do Ser.

Let, eu adoro os quadros que montas. Achei muito interessante a dimensão do pregador em proporção às sombras oradoras.

Beijos,

Erica Maria disse...

Adoro sentir este encantamento q toma seus textos!

Bjos*

Germano Xavier disse...

Prova geral de que é possível um mundo em pouquíssimas palavras. A voz que ainda não disse quero que seja a minha.

B., Antonione disse...

Gosto muito do que sinto nessa prosa de versos; soa poesia cada olhar estranho que lança sobre esse ambiente que percebe. E embora angustie mergulhar nessas percepções que traga com o olhar, a poesia consola cada dor sentida.

Sinto ter ganho o dia com essa sensação de encantamento... Agradeço-lhe

Bom, uma ótima semana

Thomaz Ribeiro disse...

Ler você sempre me parece uma experiência que visa tocar na intimidade. Só não sei na de quem: na do seu leitor ou na sua.
P.S - Parabéns pelo lançamento de seu livro. Desejo-lhe sucesso.

Zélia disse...

Verdade! Longa e vazia é a vida para quem a vê como uma enorme "Disneyland". Vida é mais. Vida é ter certeza que vc cresceu e crescer dói. Hoje eu sei porque me apaixonei pelo Peter Pan quando, aos 9 anos, coloquei os olhos nele pela primeira vez...

Belo (mais um) trabalho!

Lucas Lima disse...

escreves muito bem, intenso isto, rs
bons dias

Éverton Vidal Azevedo disse...

Velhice, fim de vida, a proximidade da extrema unçao e o ser falando em diversao. Eu fico admirado com essas situaçoes que você cria, estao tao próximas da gente e a gente nao vê.