13 junho 2010

dragões solitários





Cheguei, tomei outro banho, outro cigarro e você não está gordo. Está perfeito. Bonito de dar nó. E ainda não entendo por que tem vergonha de ficar sem camisa. Eu não tenho vergonha do meu corpo. Mas aí pensei: Cada um, cada um. Quando nos reencontramos (Você percebeu?) parecia que a gente se conhecia (conhece) há anos? Um casal antigo, vestindo jeans e você fica lindo com essa barba e a voz de lunático perdido no caminho. Te amo. Já te disse? Digo de novo. Te amo. E a combinação também foi perfeita. Quebra cabeça completo. Cheio de estilhaços. E a gente fala o mesmo dialeto. Língua da mesma pátria. E percebi que estava cansado querendo dormir. Mas agora você tem colchão. E travesseiros floridos. E tapete pra não molhar o quarto quando sair do banheiro. Escolhi dois tapetes. Verde e azul. Gosto destas cores. Gosto de você. Gosto não. Te amo. Já te disse? Digo de novo: Te amo. E olhamos pessoas com seus carrinhos de compras. Já reparou que todo mundo nos olha como se a gente fosse um casal colado apaixonado fazendo maluquice de andar pelas ruas escuras de seu novo bairro? E você agora tem duas cadeiras, cama, janela branca, uma mesa e o quarto do tamanho de um banheiro. E foi bom. É bom ver teu rosto aceso quando a luz adormece. Fico de ponta cabeça (cabeça pra baixo) decorando teus traços. Será que você sabe o quanto penso em você com meu coração? Um pouco de Legião Urbana pra terminar. Ou começar. Agora que é começo do mundo. Nós dois todo o tempo e nossas mentiras literárias fazendo nosso estrondo de amar por inteiro o que não pode ser metade. E sabemos o caminho de casa: Direita Esquerda Volver. Os soldados agora dormem quase em paz. Porque amor não é pacífico. É homicídio flagrante deflagrado. E te amo de novo só para deixar bem claro. E acordo tarde e faço maldade porque gosto do amor que arde. Gosto tanto que me espalho. Olhe ao redor e veja que estou em toda parte. Amaldiçoando teus dias, chovendo no molhado e engolindo o fogo de teus dragões solitários.




Image by vishal misra

8 comentários:

Zélia disse...

Meu Deus!!! Perfeito porque é perfeito! "Amor não é pacífico" é oceano e eu queria desaguar tanta coisa aqui mas não devo. Calo. Vejo um mundo. Vejo espelho. Amar é tudo. Eu amo...

Jaqueline Lima disse...

amor...por que será que a gente ama?
você tem toda razão em dizer que amor não é pacífico...mas confesso amar é bom demais...de tudo que possa ser forte, só o amor é intenso!

saudades de passar por aqui, sempre maravilhoso ler suas palavras...

beijos menina bonita!

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Leticia...porque não participou? Rsrsr...daria cancea um monte de gente de conhecer sua escrita, de conhecer esse cotidiano que você tão bem nos oferece a cada postagem...
De conhecer tão bem a forma Leticiana de se escrever...
Volto a te convidar...quem sabe um dia...rs
Um abraço na alma te quem admira tua escrita, pois ela mostra um pouco muito da pessoa que você é...

Um abraço na alma...beijo

aluisio martins disse...

"Porque amor não é pacífico. É homicídio flagrante deflagrado."
Li a mim mesmo e me vi tão nu quando quando me escrevo.
Eis o real encontro das palavras
Lindo!!!

Marcello disse...

Oi Letícia.
Cada texto seu é uma pancada nos sentidos !!!!
"ver teu rosto aceso quando a luz adormece"

Caraca moça.. que frase !

Beijos

Leo Mandoki, Jr. disse...

pq vc sumiu?...gostaria realmente de saber....pq o silêncio nem sp soluciona tudo
beijos

Monday disse...

Sempre gostei de dragões, solitários ou não. Quando era pequeno, tinha medo deles, depois de crescer, passei a adorá-los.

Queria ter um de estimação, iria deixá-lo no quintal de casa. E, claro, voar com ele de vez em quando.

Voar deve ser muito bom, mas voar de dragão deve ser inigualável ...

Sonhadora disse...

Isso tudo era tão lindo antes de doer...

A vida é mesmo um rio que corre...corre e nunca para de correr. Tentar parar é se machucar, sempre!

Eu me machuquei e agora ele diz que o ama toda hora sem resposta...

E eu faço que me amo também.

=}