12 outubro 2010

espartilhos




Passeio entre éticas poéticas e me reconcilio. Dispo meu corpo do vinil antigo e vertigem é desafio. Passa da noite e já é dia e ainda respiro idílica minha natureza duas caras de inúmeras metades verbalizadas em obras de mera arte. E nada de mim se desgarra. E, embora eu seja dita gado abatido, animal ferido, beijo de improviso, reproduzida em alter ego alcanço a ponta de meus indícios de crimes, pagar castigos e bendito seja o inferno. Rastejo de mesa em mesa, lampeja de mim a luz sincera do respirar vadio e nunca fora ardida minha pele aos olhos dos puros senhores que ainda cobiçam minhas cansadas pernas de pedinte. Santa alguma faz o mal que me avança. Caminha criança de volta à cama dos pais e o casal se ama entre lençóis. E as canções antigas marcham curiosas e vasculham meus infinitos campos escondidos e não há humano que de mim terá parte cortada ou boca calada. Falarei em claro idioma, tomarei banho em rio de ponte partida e sairei pela cidade sendo bando e sacerdotisa das dores esquecidas e todo homem, mulher, criança ou cria, terá de mim toda metade. Que sou liberdade em substantivo e presa em adjetivo. Andante declarada, desatinada e vasta de inaugurações. Nunca refugiados mantenho sentimentos. Estão todos espalhados, soltos, balões infláveis, coloridos, intensos e radioativos. Todos loucos pelo infinito de fazer sentido na ausência dormente de meu juízo. Louca que só o tempo.




Image by pyp

6 comentários:

Sonhadora disse...

Hello, Letícia.

Gosto desses teus escritos em tons de promessa...mesmo que não se cumpram...

Gosto também de frases 'radioativas' [e de metal contra as nuvens 8)].

"Que sou liberdade em substantivo e presa em adjetivo."

Beijos, =}.

Juan Moravagine Carneiro disse...

Você realmente dança com as palavras...

Renata Luciana disse...

Aquele bordeaux, leitura que causa devaneios. É muito bom encontrar nesse espaço a adega para os meus sentidos.

'louca que só o tempo'

glória disse...

Havia um tempo que por aqui não passava. Gostei de ver o novo layout da página, o "espartilho" revela "Andante declarada, desatinada e vasta de inaugurações" que já nos encanta e espanta. Sumiu do twitter? bjs

Ribeiro Pedreira disse...

é tanta imagem que deixa tonto... embriaguez de sonho.

Zélia disse...

Sei lá! Sempre gosto dos teus textos. Você sabe disso. E gosto não por nada a não ser porque são bons e falam comigo e por mim também. Mas parece que quando a gente fica uns dias sem vir aqui a surpresa se renova sabe? E como se a gente ficasse mais boba. Assim como diante de quem se ama.

Você sabe que eu vejo imagens em textos escritos. Quanto mais imagens eu consigo visualizar melhor o trabalho no texto - minha teoria. Pois quando terminei de ler "espartilhos" só consegui ver um monte de balões coloridos tomando conta de tudo na minha frente. E quem é "louca que só o tempo", talvez seja mais sana e mais livre que qualquer outra coisa ou ser...

;)