28 junho 2011

ao belo e sublime






moralista



Não é de amor que você precisa. E seus pensamentos possantes egoístas também não lhe servem de alimento. Sempre a busca fere como farpado arame corta o vento a soprar indagações. E não há pecado algum no egoísmo. É patrimônio nosso. E duvide daquele que muito compartilha. Há sempre maldade em doações. Não é disto que você precisa. E toda necessidade é uma dose imoral de vida.




mundo homem



Vá. Certifique-se na gramática. Nem todos os substantivos mudam de gênero. O mundo é homem e eu mulher não posso dar-me ao benefício de pernas abertas e muito riso porque de mim pensarão asneiras. Machismo contraído de senzalas, uma praga, infesta todas as bocas enquanto a minha fala.




lipoaspirados



Um grupo de amigos toma café, na beira da esquina, em lugar de requinte. Falam abobalhados de suas vidas, seus amores, mostram cor de unhas, fotos, seus temores diminutos propícios de quem não pensa. Pensar é absoluto. É mundo. É gameta. E falam os jovens de suas conclusões a respeito de tudo. Mas esquecidos estão seus receios dentro de suas gavetas. Há mais felicidade nos silenciosos do que nas bocas que vivem a exibir os dentes.






Image by Jasinski

7 comentários:

Felipe disse...

Perfeito, Lê!

"Há mais felicidade nos silenciosos do que nas bocas que vivem a exibir os dentes."

Beijo...Fê

Camilla Tebet disse...

Vc traduz pensamentos. Vc da' corpo a emocoes que sao reais e vc as faz em poesia..
tambem duvido de quem muito anuncia.

A Escafandrista disse...

gostei muito do segundo texto... sempre me identifico com aqueles nos quais vc fala com certa liberdade do feminino. Beijos.

Eder Asa disse...

Nunca concordei tanto contigo. Aliás, acho que nunca antes havia concordado com moralistas.
Te gosto sisuda!

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

Nem sempre a partilha é bem aceita a quem ofertamos, há os que querem morrer de fome e necessitam do nosso egoísmos. O mundo homem, o homem o invade, a mulher a que abre as pernas, aprendi com minha mãe a ser um coração feminino, é bom nunca esquecer que ficar em silêncio pode ser salvação e vou treinando para desaparecer,meus dentes nordestinos tem pouco de riso e muito de abandono.
Ler textos assim me transforma em Baleia, a personalidade exata de Graciliano Ramos, homem bicho que se fosse bicho homem mais feliz estaria

Sobre mim disse...

Eita textos que me prendem!

Zélia disse...

Eu vou ficar com as últimas linhas que falam da felicidade. Felicidade é igual a tristeza. Elas, simplesmente, são para ser sentidas, essencialmente. Compartilhadas, sim, porque sentimentos não sobrevivem isolados dentro de nós. No entanto, não há necessidade de alarde. Quando há alarde, na alegria ou na tristeza, há que se desconfiar. ;)