08 junho 2011

bíblico






O pastor cuidava de suas ovelhas como quem cuida dos próprios filhos. Mandou fazer enorme cercado e, noite e dia, protegia as ovelhinhas dos olhares curiosos de quem vinha. Sentia orgulho de sua criação de ovelhas e ninguém no mundo poderia tê-las, comê-las ou de suas peles fazer cobertor. Era sempre a mesma agonia manter as criaturinhas no cercado, quietas, engordadas, solitárias em comunhão. O homem enchia os olhos de ver o que possuía em sua pobre lida de criador. Mas a fula vida passa e deixa rastro de deserto. Algumas ovelhas morreram meninas, outras fugiram sem direção e as que restaram não derramaram lágrima quando morreu o pastor. E desperta a história seu realismo. De nada vale esconder-se do risco. Aquele que economiza agasalho é o primeiro a morrer de frio.









Image by Gabriele-Art

7 comentários:

NDORETTO disse...

aaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiii! Menina que profecia!!!!rsrsrsr.......
Adorei!
Um baratinho!...kkkkk....vc é uma parada!!!!

Eder Asa disse...

Ai! Afiada...
É meio Belchior, "que esete canto torto feito faca, corte a carne de vocês".

Adoro quem diz muito, com pouco.

João Ludugero disse...

Olá, muito boa tarde!
Eu venho te convidar a visitar meu blog de Poesias.
Se gostar e quiser me adicionar, vou gostar de ter por lá seus coments.
Felicidades e saúde!
Abraços,
João, poeta.
www.ludugero.blogspot.com
Até mais!
Já te sigo, pois gostei do seu blog.

Zélia disse...

Uia! Tenho que dizer que muito gostei! Parece um poema, no seu melhor sentido. ;)

CARLA STOPA disse...

Vc... sempre se superando...

Hellen disse...

Um mais ta ficando mais suave essa garota! intesa como sempre, mas meio que romântica. adorei o texto.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

histórias cãndidas de um mundo possível
ps- adorei nome do seu livro