11 agosto 2011

a métrica do tempo








O tempo está na cozinha berrando ao apito da panela de pressão. No fogão branco sem ferrugem, no retrato de estática paixão, no lençol comprado ontem, na padaria cujas portas lacram a fome ao fim do dia e no travesseiro abandonado às seis da manhã. O tempo está correndo no relógio da sala, no sino da catedral, no remendo de um pneu furado, na copa da árvore que esconde o sol com peneiras, no discreto silêncio das abelhas e na elegância dos mendigos que dormem ao longo do caminho das palmeiras. O tempo está contra o vento, na demora do ônibus, na escada rolante de um shopping repleto de gente, no imã de geladeira que elabora obrigação, na inveja, no corrupto momento do sono, na distância entre cidades, na política, na fraude, no palhaço que sorri em solidão, no diabético vício das línguas, no flácido receio após o beijo, no corte do lírio para presente e no milagre exigido em altar. O tempo está sob os sapatos, na poeira da rua limpa no capacho, na droga que não cura, no resultado de um exame e na incompreensível ilusão de quem sonha. Nas roupas estendidas, em malas feitas, em livros lidos pela metade, no quarto do filho, no quarto dos pais, na luminária de criado mudo, na obrigatória xícara de café ao falar de eventos, no tiro certeiro e na corda que arrebenta o barco e o liberta da âncora em dado momento. Em tudo está o tempo. No aviso de proibição, no sinal vermelho, na fama, na desculpa, na ausência e na gana de comer o que ainda ferve e queima a garganta do impaciente. O tempo não estanca e, irônico, paira sobre telhados fazendo de envelhecido o que sempre fora jovem à ilusória estética do espelho.






Image by Ally Stermer

3 comentários:

Eder Asa disse...

Tempo, logo existo!

Zélia disse...

Ontem, lia um texto teu em que vc falava sobre a ditadura do tempo. Fiquei pensando em quanto sofro nessa ditadura. Hoje, leio que o tempo está na cozinha berrando. Olho para a minha cozinha e vejo mais que panelas de pressão berrando. Berra tudo e berro eu, mulher moderna, chique e elegante, ainda presa a certas convenções impostas à figura feminina.

Voltarei mais tarde.

Sincerely,
Me.

Beto Canales disse...

excelente título