16 setembro 2011

fardo em benefício










Alérgica a removedor de pêlos, Catarina arranca um por um com uma pinça dourada herdada de sua avó. Amola a pinça de tempos em tempos para não perder a velharia deixada por um de seus ancestrais. Na verdade, Catarina pouco se importa com sua família. Visita-os apenas por conveniência e, para, em ocasião da morte de alguém, não ser esquecida em testamento. Ela faz o bem ao próximo. Mas sempre busca o próprio benefício. Ri de quem se diz bondoso sem intenção de beneficiar a si mesmo. Todos nós buscamos salvar nossa própria pele. E hoje é dia de atrair mais salvação. Arruma-se com cuidado. Catarina escolhe suas roupas de acordo com suas intenções. Hoje pretendo demonstrar que sou boa moça, respeito os mais velhos, durmo cedo e rezo ajoelhada pedindo por todos. Catarina é uma grande mulher revestida de mentira e vaidade. Mas isto não a fere. Não mais. Antes do incidente, Catarina costumava ser uma menina brilhante. Diziam seus familiares que Catarina seria uma boa esposa, prendada, ou talvez estudasse e talvez se tornasse um grande orgulho para seus pais. Ela mesma sabia disso. Sentia que havia nascido para carregar o fardo de ser mulher honrada. Ajudava sua mãe em casa, ensinava matemática ao irmão mais novo, dava o corpo ao seu padrinho, deixava que seus tios e tias lhe molestassem o juízo com suas conversas baseadas na bíblia e, ainda, corria a socorrer quem quer que fosse. Uma verdadeira santa era a menina. Mas o que teria acontecido para que tal divindade humana fosse corrompida? Poucos sabem e pousos hão de saber. Catarina apenas diz que, por graça divina, um dia, fora dormir cega e acordou de olhos abertos e viu o mundo como qualquer um precisa ver. Catarina arranca os pêlos com uma pinça, lava o rosto, veste suas roupas e vai à casa de seus pais fingindo nada entender.







Image by stuntkid

2 comentários:

Zélia disse...

Arrancar os pêlos um por um com uma pinça? Não sei se digo que Catarina é louca ou perseverante. Talvez, as duas coisas. E isso acontece mesmo: sempre chega o dia de vermos o mundo como ele é de verdade. Fingir, "all the world is a stage"...

Flor com Espinhos disse...

às vezes, é melhor escolher não entender, mesmo entendendo tudo. tu escreve mto. escritos instigantes. começo a te ler e fico brava qdo termina. teus escritos tem sabor de quero mais. fui em uma livraria comprar tuas palavras, mas não obtive sucesso. onde encontro elas?