12 abril 2012

silêncio












Você vai dormir com 10 anos. Acorda no meio da noite com 19.
E, pela manhã, se surpreende com 30.
Ao se espreguiçar já se passaram mais dez anos.

(Matheus Pimenta)








Silêncio. O homem precisa dormir. Há peso em seu corpo. Seu rosto está marcado. De sol. De chuva. De lágrima turva. A boca está cansada de tanto que fala o homem. Na alíquota, na passagem, no preço do combustível, na revolta, no futebol, no divórcio, no filho, na mulher, no padre e no vício. O homem agoniza tranquilo enquanto um gato pardo salta da marquise. Gatos não cometem suicídio, pensa o homem de olhos pesados e quase tão tristes. Mulheres damas celebram seus clientes e engolem dos homens a larva que é quente. Em plena rua, na madrugada, na avenida em que habita o homem que tenta adormecer em cama imensa de um corpo só. Amarrotado pelo tempo, o homem não perdoa quem o fere, quem o esquece, quem o faz esperar. Silêncio. E isto é para todos. Para os prédios, os amantes do quarto ao lado, para os bêbados que vivem de feriados, para os planos que não se calam na mente que ferve, para a violência, para a política, para o desejo que insiste em desesperar o espírito, para a fome, para o sorriso publicamente forçado, para os parcos e imbecis que nada sabem do tempo que passa na cabeça do homem que acredita inanimado que hora certa é o grito afinado do alarme, do relógio, do carro, do risco do pneu no asfalto. Silêncio. O homem adormeceu farto de estar cansado.












Image by Terri

7 comentários:

Antonio Carlos disse...

Vi o link do seu blog no facebook do Matheus.

Parabéns pelos textos.

Sonhadora disse...

Coolmadre...

Nossa, há quanto tempo eu não comento aqui!

=/

Não posso perder mais nenhum texto seu, já extrapolei meus "25%" de ausência.

Esse texto tem uma essência, uma coisa indefinida (pra mim que ando sem prática), e eu não sei descrever. Só sei que roubaria pra mim a sentença após o segundo silêncio, em especial.

Você é realmente imperdível...

(=

Miss u.

Germano Xavier disse...

Silêncio.

marlene edir severino disse...

Silencio
então

Muito bom!

Abraço!

Marcelo R. Rezende disse...

Quase uma inércia. Ou uma velocidade tão grande. Paradoxos, mas cabem.

Lindo, LÊ.

bruniuhhh disse...

deixe ele se fartar de adormecer...
(e há certas coisas que deveriam só silenciar)

Marcelo Novaes disse...

Letícia,



Eita silêncio ruidoso do caramba!


Nelson Rodrigues o chamaria de "silêncio ensurdecedor".



Um beijo, amiga.