28 agosto 2012

esteja sóbrio quando me ligar












ou bêbado. Não me importo. Eu posso ouvir um bêbado alucinar-se por sua vida perdida. Porém será mais propício que esteja sóbrio. Porque não irei duvidar da voz que me cala a língua. Não pensarei ser loucura sua palavra dita em meu ouvido. Embora eu seja íntima da loucura e de seus propósitos, não me traga a falta de lucidez que em mim já é imensa. Esteja sóbrio ou ébrio (mas com alguma sensatez). Fale mal de seus vizinhos, de sua rua, de seu emprego. Fale mal da política. Reclame dos sapatos baratos que comprou ou dos calos que fazem doer seus pés ou de sua família que está sempre a pedir dinheiro emprestado ou de seus amigos sacanas que bancam honestidade e tropeçam em mentiras. Fale do amor de sua vida que decidiu ir embora por falta de diálogo, por falta de companheirismo, por falta de superficialidades que não importam à mente de um homem bêbado, talvez impotente, talvez imaturo, talvez estúpido. Quero ouvir sua voz de toda maneira. Mas é sempre adequado que esteja inteira sem a rouquidão inóspita de uma bebedeira, ausente da fala que trará ressacas de arrependimento. Sei como se sente aquele que busca ser ouvido em pleno desespero ou em um momento em que o mundo acaba no fundo de um copo vazio ou de uma garrafa amarelada sem líquido algum. Conte verdades (reais ou não), fale dos impostos, do preço dos alugueis, de sua última visita a um lugar que não conheço. Conte de suas mulheres, de seus homens (acaso existam), fale de suas humilhações, mas também não me poupe da elegância de falar da alegria, das borboletas submersas em vida que sugam plantas e voam ao redor de seu corpo quando se sente livre e descalço do peso de tudo. Conte histórias que não ouço de muitas bocas porque eu o postulei único em meu altar há tempos ocupado por um deserto de adorar ninguém.






Unison by Björk on Grooveshark






  Imagem

4 comentários:

ediney disse...

"Sei como se sente aquele que busca ser ouvido em pleno desespero ou em um momento em que o mundo acaba no fundo de um copo vazio ou de uma garrafa amarelada sem líquido algum. "
bêbado ou não sou silêncio,porque cansa do outro buscar afeição sóbria quando não há o outro, apenas uma orelha surda

Anônimo disse...

Grito desesperado de/ou com palavras para silenciar.. o que se fala hoje, se ouve, vomita, cega?

Belos escritos Letícia!!!

Erica de Paula disse...

Adorei o texto e a imagem!

Marcelo R. Rezende disse...

Sempre espero que se diga algo, porque eu preciso da ação, do toque e da animação. Seres inanimados me fazem ir à loucura, talvez por eu ser um pouco assim. Em verdade, nós gostamos de um GPS emocional, mas saímos de cena quando ele apita pro nosso lado.