25 agosto 2013

jogo de astecas








Ou eu a cortava ou a incendiava. Era este meu dilema de ontem. Hoje, sequer me lembro. Apenas rememoro para saber que o fiz. Eu definitivamente exterminei a buganvília.





convite para o cinema

(advertência: moral pornográfico)



Táxi. Aroma de bêbados. Pessoas vão e vêm nestes bancos. Por isto me sento com cuidado. Beija-me muito. Achei brega, mas aceitei a migalha. Beijei. Nos pés, sapatos cor de caramelo. Nos meus, vermelhos. Igual a pele que se esconde retraída (de medo). O filme é singular. Você verá. Claro que sim. Tudo o que vem de sua boca é singular. Até suas imbecilidades. Sempre tão amáveis. Duas entradas, please (get up off your knees). Os dois andam de mãos dadas. Quase enganam pela aparência ingênua da coisa. Na verdade, querem do outro o que deus tanto condena. Mas para quê falar em deus agora? Esqueça. Vamos sentar aqui? Que tal? Claro que sim. Tudo escuro. E o filme começa. Beijo na boca de línguas que se enroscam. Mãos nos mamilos. Tão rápidas. Seriam répteis as mãos que deslizam pela curva dos seios da mulher de boca muda? Te quero tanto... Murmurando. Não deixe que nos ouçam. Saia jeans para encurtar caminho. Sem calcinha, sem fricote, porque é assim que age a mulher que por ordem provoca. É? Detesto filme legendado. Ó. Quase nos ouvem. Não faça barulho. Não urre mais que o necessário. Ok. Você é o freguês. Jogo de astecas, tocando marcha com a ponta dos dedos. Abra as pernas. Tão deliciosa. Você é má. Sorri. Os dedos escorregam para dentro. Muito fundo. Profundos os peixes não temem o escuro dos mares. Tão denso o líquido que escorre. Dedos fora, dedos dentro (da boca). Tudo escorre pela garganta. Eu amo você. Espere o fim da cena e, só então, me diga o que sente. Frenéticos os dedos voltam. São muitos. São tantos. As pernas se escancaram. Com força as mãos desenvolvem movimentos harmônicos. Beijos calam o clichê básico. Ninguém precisa ouvir. É proibido me proibir. E eram lentos, mas agora estão loucos os dedos. Penetram mais e defloram o que já estava deflorado (há tempos?). O líquido está mais denso. É hora do conflito final. Orgasmo comum de igual casal. Mas diferente é a cena porque fora feita com a decadência típica dos que manifestam cio em vias públicas. Voltam ao táxi com as faces rosadas como se fossem pecadores pueris. E o final do filme? Singular. Como eu sempre quis.