28 maio 2010

augusto dos anjos, jornal nacional e liquidação




Paraíba – mulher, macho, sim, senhor
O que o Jornal Hoje não mostra


Resumo dos frutos


Poesia de Augusto de Anjos, prosa de José Lins do Rego, Ponta do Seixas (Aqui o sol nasce primeiro), Algodão Colorido, Pólo industrial (Campina Grande está entre as cidades brasileiras mais desenvolvidas industrialmente), Povo acolhedor, Há seca, mas existe água também, água e peixe, Tambaba e sol nascente (Melhores praias de águas puras), Grandes centros universitários, Profissionais bem formados, Doutores quase todos. João Pessoa já se tornou metrópole. Já existe até sequestro por aqui. E a Paraíba tem EFRAIM. Ou será o contrário?

O clima é perfeito. Embora quente, mas é verão o ano inteiro.

Tem arte, tem Fenart, tem Baluartes (Vide Academia Paraibana de Letras).

Aqui tem de tudo. Até refilmagem do filme The Day After.


Sábado, manhã, inauguração de loja, liquidação de eletrodomésticos, muitos feridos e um óbito. Esta cena o Jornal Nacional não mostrou.






Não por falar mal da terra onde moro. Em minha opinião, é tudo Brasil. Não gosto de separação silábica.

Pensei em postar aqui o vídeo. Fiquei perplexa com a cena. Pensei no desespero, em dinheiro, em escrever um texto poético e, por fim, vejo que a vida é mais do que está escrito. Sou paulistana, mas já moro aqui o suficiente para dizer que sou paraibana. Se um dia disseram que o nordeste era terra de gente pobre, analfabeta e pé no chão, mudem o discurso: O Nordeste evoluiu. A Paraíba encontrou evolução.