05 outubro 2016

naipe de amantes







Deus


Deus veio me visitar. Sentou-se e esperou que eu lhe contasse algo. Esperou que eu lhe pedisse graças. Porém, ajoelhada como estava, eu apenas o admirei. Em silêncio. Apaixonada.




Sacerdotisa


Sempre acreditei que tivesse poderes de mudar minha vida. Dona de si, eu andava altiva. Até o dia em que ele surgiu. O tal, belo e frequente em minha cama, fez de mim o que a carne não esconde. Eu o amava tanto que pouco me importavam frio e fome. Eu estava inteira. Eu engolia o homem.




Arlequina


Nem era dia dos namorados. Era dia de nada. Comprei presente e o esperei, maquiada, bela e equina. Ao entrar, sorrindo e sem hesitar, ele me questionou: onde é o baile a fantasia?













Um comentário:

Luis Eme disse...

Imaginei-te, Arlequina. :)

(até fui a casa mudar de roupa para o baile)